domingo, 22 de maio de 2011

Num Sonho

Hoje sonhei contigo. E nesse sonho não eras meu, não me pertencias. Ao contrário, eu é que me tornava parte de ti. Um átomo a girar. E tu, um gigante etéreo, maior que o mundo, maior que o meu mundo. Eras sublime e a ti reverenciavam os astros do firmamento. Eras eterno, o mais belo dos deuses.

Em meu sonho, te vi como nunca antes, te vi com os olhos da eternidade. E eras tudo. Homem, deus, anjo, sol. E pelos meus novos olhos de sonho, te vi essência, mais que fogo, mais que ar. E vi teus olhos nos meus olhos de espírito. Meigos, sérios. E me vias inteira, sem sombras, sem dogmas. Despida de tudo, como uma oferenda a ti.

Foi quando percebi que não sonhava contigo. Era meu coração quem te observava de longe. E eras outra vez meu menino mais bonito, tão jovem quanto a imortalidade dos séculos, tão mágico quanto a profusão de estrelas que agora brilham ao teu redor.

Se despertei desse sonho, não sei dizer. Tudo o que sei é que permaneces comigo, célula por célula, entranhado na alma, até o próximo adormecer.

Nenhum comentário: