sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Eu Tenho...


Eu tenho um amor. Um amor que é de outro, que é de outros, que é de todos. Menos meu. Eu tenho um amor distante, que mal me ama, que me ama mal. Que ama – sim, ele ama –, mas não a mim. Sabe amar, mas não sabe dar esse amor. Sabe sorrir, mas com tristeza. Sabe sonhar, mas apenas seus pesadelos.

Ainda assim, é o meu amor. Meu amor apartado, afastado, arredio. Meu amor instável, explosivo, vazio, inábil. Meu amor de todos. Ainda assim, só meu.

Eu tenho esse amor impossível, que vive no peito e na mente mais do que na carne. Que vive pelos olhos castanhos tão tristes. Que vive estraçalhando alma – minha alma. E que vive no desejo de, um dia, só por um dia, realmente ter.

Nenhum comentário: