segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

ANDARILHO



Eu ando por ruas perdidas
Jogando imagens com monstros
Devoradores de sons
Procurando o caminho da partida
Ou a chave dos sonhos da nave
Que desperta mil dons

Eu ando gritando um nome
Que eu mesmo não entendo
E procuro, reparando nas sombras
À noite, um brilho some
E somem razões
Esquecidas, perdidas
Em fendas e dobras

Eu ando
Como andaram os homens
Eu ando
Como eles já não andam mais
Procurando
Como procuraram um dia
Eu ando
Procurando paz

Nenhum comentário: