sexta-feira, 12 de abril de 2013

Só Mais Uma Saudade



Às vezes me bate uma saudade de ti... Uma vontade de ti, uma ânsia do teu cheiro... Me pego, do nada, pensando em ti, lembrando teu rosto, teus traços, teus pêlos... Me vem uma saudade tão única... me vem uma tristeza tão dura. Me vejo de novo em teus olhos quase claros, quase escuros. Teus olhos quase meus...

Tem vezes que me dá essa saudade, essa ternura, essa lembrança. Sim, ainda lembro de nós. De todos os jeitos. Lembro de cada abraço, cada beijo, cada orgasmo. Lembro sorrisos e olhares cúmplices. E lembro também que essa é uma lembrança distante. Que já não és mais meu. Que já não estás mais em mim.

Sim, por vezes recordo teus abraços, teus dentes alvos no sorriso, tua boca a marcar minha pele, tuas mãos tão ternas. Recordo nossas conversas tão curtas, tão rasas. Sempre falamos só de nós. Daquele presente passageiro. Sem passado, sem futuro. Pretérito imperfeito esse nosso amor. Mas era amor, é o que importa.

Por algumas vezes, ainda me pego voltando pra ti a cada pensamento, te fantasiando, te idealizando. Já é mais raro, mas ainda assim, acontece. É saudade, que posso dizer? Sei que ninguém tem culpa. Sei que ninguém tem volta. Só que é tão difícil, nessas vezes, não pensar em ti com carinho, com afeto, com paixão.

Só nessas vezes, me dou por conta de que não passou ainda. De que meu coração não esqueceu, que te amo... Lá no fundo, bem no fundo, te amo ainda. Bem lá no fundo, sinto a tua falta. Lá, bem escondido, ainda desejo te ver voltar pra mim. E ser feliz como fui nos teus braços... Mas não liga, não. É só essa saudade daninha.

Nenhum comentário: