quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Isso é uma declaração de amor



Sei hoje, mais do que ontem, menos que amanhã, que amo um ser criativo! Sei agora, mais do que nunca, que sorrio à menor menção ao ser intelectual que me conduz. Oh, sim... sou conduzida! E esse que me leva às alturas é também minha âncora. Esse que me sonha e que me faz sonhar, esse que me é tão caro quanto ouro.

Sim, amo esse ser escritor. Amo esse ser que delira em linhas tortas, em frases ríspidas, em personagens densos. Amo um homem que é mais que humano, mais que homem, mais que imaginário. Esse que amo é mais do que eu sou. É, isso é possível!!! Me espelho nele. Me inspiro no saber que é dele e não meu.

Inveja? Um pouquinho, às vezes. Porque ele é mais do que eu. Mais inteligente, mais culto, mais integrado. Ele sabe mais, isso é fato. Mas, essa inveja em mim é construtiva. Quem sabe, em algum momento, eu possa vir a ser assim, como ele. E ele nem sabe que é tanto assim! Meigo!!!

Só sei que tiro dele a inspiração pra me fazer escritora. Ele é meu personagem, minha utopia. Se eu fosse um homem, seria ele, sem tirar nem por! Seria como ele é. Com todos os defeitos e devaneios. Seria como ele, um alguém que sonha e que se permite sonhar. Coisa que já não sei fazer.

Esse homem – que é lindo de olhar, embora ele não acredite – é a meta perfeita da princesa na torre. Sim, um cavaleiro num cavalo branco. E olha que ele nem precisa de cavalo pra ser magnânimo. Um homem “tudo de bom”!

Ele é aquele que é másculo, que é tenro, que é viril, que é desejo puro! Mas, ele também é sensível. Ele é aquele que sofre, que chora, que sente no peito a mácula, a ofensa, que se decepciona... Ele é humano! Mais humano do que eu, que não sinto nada. Nem empatia. Eu que sou a fera. Ele, a contrário, é a bela... ele é, sem dúvida, melhor do que eu.

Esse homem – meu homem perfeito, meu amor eterno – é minha chance de remissão, de redimir-me perante o universo. Esse ser mais do que eu me ensina todos os dias a ser melhor, a viver melhor. Esse cara é o esteio da minha vida. E eu o amo por isso. Mesmo que ele não saiba. Ele me faz melhor do que eu jamais fui.

Minha mãe adoraria um genro assim. Mas minha mãe não existe mais e a vida não é tão perfeita! Fora isso, esse cara magnífico – e lindo de morrer, admitam!!! – é o homem da minha vida. Meu amor eterno! E o melhor de tudo é que eu sei que ele estará comigo pela vida inteira. Sem dúvida nenhuma!

Te amo, Roberto!!!!!!

Nenhum comentário: