quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Arcanjo Primordial



Salmos jamais serão entoados em teu nome. E se fossem, tu gargalharias de todos os versos hipócritas. Chamas de velas pedintes jamais te alcançarão. Joelhos penitentes não te comovem. Parcas ilusões incapazes de te ascender à luz. A mesma luz da qual declinaste por teu reino blasfemo.

Anjo caído primordial. Em tuas asas soturnas repousa o sangue paternal da humanidade. Em cada pecado do mundo, resides incógnito. Em cada desejo velado e ardente, lá estás. Criatura dotada da chama divina, do poder do convencimento, da palavra que encanta! Diz, e te obedeceremos, arcanjo negro! Todos nós, tua prole.

Muito além de deidade servil, foste comandante do primeiro exército celeste. Consorte da mãe de todos os demônios, tu ousaste ser a víbora anfitriã da cria do filho de Deus. É teu o poder da atração, da lábia, da sede da pele. É teu o ato extremo de seduzir! É teu o filho renegado e assassino que povoou o plano terrestre. Somos teus gratos filhos, pai!

Alma de serpente, verbo divinal. Tens contigo a poesia da retórica. Fazes do convencer uma arte mais que humana. És o mestre da persuasão. Enquanto que o portador da luz, teu irmão, tem a sabedoria, tu tens a audácia. Tens o estímulo de dominar as mentes fracas de teus infiéis. E ries deles, de todo nós que achamo-nos imunes ao teu dom.

Esse anjo-demônio excluído das escrituras ditas sagradas, essa força sedutora a emprenhar os desejos humanos, esse poder desmedido de satisfação dos sentidos. Tudo isso tu és. Anjo-arcanjo-demônio. Trevas e luz habitam em teu ser mais que divino, mais que profano. Único em tua grandeza.

Louvores e cânticos jamais chegarão aos teus ouvidos. És a essência da decadência do paraíso. És a causa do grande mal. Mas, na tua derrota, tu te assomaste à humanidade mais do que qualquer eunuco celeste. És o espírito da cobiça e da carne, do ódio e da paixão, da luxúria e do ciúme. És e serás sempre louvado por nós, teus filhos, a cada orgasmo. E teu nome seguirá em segredo conosco. Eternamente!

Nenhum comentário: